Rafael Braga – Excluído do Transporte Público

Rafael Braga Vieira, 26 anos, é a única pessoa condenada no contexto das manifestações que aconteceram e acontecem no Brasil desde junho de 2013. Rafael foi preso no dia 20 de junho do ano passado durante uma manifestação, pois portava uma garrafa plástica de Pinho Sol e outra com álcool. Ele foi condenado por portar material com potencial explosivo.

Rafael trabalhava como catador de latinhas e não era manifestante. Ele estava entre os manifestantes trabalhando e foi preso unicamente por ser negro e pobre. É difícil imaginar a polícia prendendo uma pessoa branca na rua por portar álcool ou Pinho Sol.

Apesar do que tem sido dito, Rafael não era um morador de rua. Ele é um trabalho informal que catava latinhas e outros objetivos durante a semana e não voltava para a casa para economizar o dinheiro da tarifa e conseguir ajudar sua família. Assim como diversos outros trabalhadores e trabalhadoras que só voltam para casa aos finais de semana, Rafael é um dos mais de 37 milhões excluídos do transporte público no Brasil devido ao alto custo das tarifas. Ele é o melhor exemplo de como o transporte, que deveria ser público, na verdade segrega e cerceia o direito de ir e vir da população, ao mesmo tempo que ajuda a enriquecer os grandes empresários do transporte.

Rafael Braga, trabalhador informal, negro e pobre, morava no centro da cidade do Rio de Janeiro próximo à Lapa durante a semana e voltava para sua casa em Olaria nos fins de semana.  E por carregar objetos para limpar o local em que dormiria, está hoje preso em Bangu.

Rafael, trabalhador urbano excluído do transporte público para poder construir seu barraco próximo a sua mãe e irmãos. Contribua com a campanha de arrecadação de tijolos para que a casa de Rafael seja feita de tijolos.

Anúncios